Páscoa


 
Na liturgia cristã, festa anual celebrada durante a primavera (hemisfério Norte), em data variável, em memória da Ressurreição de Cristo.
A data da festa de Páscoa foi fixada pelo Concílio de Nicéia (325), no domingo que se segue à lua cheia do equinócio da primavera (21 de março hemisfério Norte). Desta festa dependem todas as datas móveis do calendário lutúrgico, particularmente a Quaresma, como são chamados os 40 dias de preparação para a festa, e o dia de Pentecostes, 50 dias depois dela. 
A festa começa na noite de Quinta-feira Santa e se conclui no Domingo de Páscoa. Ela é preparada por cinco semanas de Quaresma e uma última semana, chamada Semana Santa, marcada por grande número de práticas e ritos da tradição católica.
A Semana Santa é o evento religioso mais cultuado no Brasil. As procissões e liturgias que se realizam no período têm o mesmo cunho religioso, mas muitas tem características próprias e as transformam em atrações diversificadas, como a Paixão de Cristo encenado em Nova Jerusalém (PE).
Em Minas Gerais as cerimônias religiosas são preparadas durante todo o ano. Meses a fio as mulheres bordam e costuram as roupas que serão utilizadas nas representações litúrgicas da Paixão de Cristo. No cenário barroco das cidades históricas mineiras as cerimônias da Semana Santa, com pompa e dramatização, guardam quase intactos os aspectos religiosos e culturais do Brasil colonial. Em Ouro Preto as irmandades, com seus hábitos austeros, preservam nas procissões uma tradição setecentistas. Em Mariana os apóstolos da cerimônia do Lava-Pés são representados pelos homens mais idosos da cidade. Em Diamantina a Paixão e Morte de Cristo reveste-se de grande solenidade: na procissão do Enterro, mulheres vestidas de negro conduzem velas acesas, com a cruz da penitência à frente; a tradicional guarda romana, formada por homens vestidos à caráter, precede o cortejo. São representadas as figuras bíblicas de Salomé, José de Arimatéia, os doze apóstolos e até a rainha de Sabá. Cerimônias são realizadas também em São João del Rei, Congonhas do Campo e Sabará. 
Em Goiás Velho, antiga capital de Goiás, as celebrações são acompanhadas por milhares de pessoas que vêm das cidades próximas e também de Brasília e do sul do país. Todas as passagens bíblicas relativas ao período são teatralizadas nas ruas da cidade. Particularmente apreciada é a procissão do Fogaréu, um ritual que simboliza a perseguição e a prisão de Cristo. Em Planaltina, também em Goiás, a celebração começa no Domingo de Ramos e a Via Sacra, com trezentos atores amadores, é acompanhada por cerca de 30 mil pessoas.
 (Ver também: Regiões/.../Ritos Religiosos)
Sociedade e Cultura Grande Enciclopédia Larousse Cultural. São Paulo: Nova Cultural, 1995.
 
Volta para origens portuguesas Volta ao Topo