O Litoral Nordestino


O Maranhão com 640 km de litoral, a segunda maior costa litorânea brasileira, depois da Bahia, mantém a pesca como atividade importante na economia. Com cerca de 50 t anuais, o maranhão responde pela maior produção de pescado artesanal do país, com destaque para camarão, caranguejo, caranguejo-uçá e sururu - todos de grande presença na culinária regional.
 
O Piauí é o estado com menor trecho de costa, apenas 66 km. Em um nordeste de tradição pesqueira, o Piauí destoa, pois alí, ao contrário dos outros estados da costa nordestina brasileira, a colonização deu-se do interior para o litoral, não havendo, portanto, uma ligação mais íntima com o mar a ponto de firmar, no povo piauiense, qualquer vocação para a pesca. basta dizer que a atividade pesqueira no piauí, caso único no nordeste, quase nada representa na receita estadual.
Um número reduzido de pescadores vivem em pequenas vilas, em casas de palha de carnaúba ou coqueiro, sem luz, esgoto ou qualquer outro conforto da civilização. São nativos do Ceará mas largaram as jangadas para virem pescar com as canoas piauienses e viver nas praias bucólicas do Parnaíba.

Mal o sol desponta, eles já estão em alto-mar, vela arriada, rede na água apinhada de peixes, pronta para ser içada. Pesca no fundo do barco, tarefa concluída, os canoeiros do Parnaíba retornam à terra firme.
 

Assim que retornam da pescaria, o que ocorre por volta das dez horas da manhã, os pescadores limpam suas canoas, consertam as redes, separam por qualidade e pesam os peixes a serem vendidos, e arrumam tudo de novo para nova viagem de pesca em alto-mar. Com o pouco que ganham, eles custeiam a manutenção do barco, caríssima, e compram material de pesca, não sobrando o bastante para que se possam proporcionar um mínimo de conforto.

(Sobre os Jangadeiros veja: Tipos Regionais)
Volta para o Modo de Vida
Volta ao Topo Vai para a Casa da Farinha

Brasil Geografia / Enciclopédia Compacta Larousse Cultural. São Paulo: Nova Cultural, 1995.
A Pesca dos Canoeiros no Litoral do Piauí / Texto e fotos de Tadeu Lubambo in Revista Geográfica Universal - Rio de Janeiro: Bloch Editores S.A., ffevereiro de 1984.